2 de agosto de 2007

 

CONVERSANDO COM DEUS

Deus foi lembrado e evocado pelo piloto da TAM milésimos de segundo antes da tragédia. O sistema de frenagem falhou, o reverso estava travado, o manete estava fora de lugar, os spoilers não abriram, nada funcionava, a pista molhada, chovendo. Meu Deus, disse o piloto.

Esta noite perdi o sono, me impressionou o imenso pavor que eles demonstraram naqueles segundos. Assisti ontem o relato do conteúdo gravado na caixa-preta pela TV Senado, e notei que o brigadeiro Jorge Kersul Filho, chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes, um homem preparado para investigar tragédias aéreas, ficou bastante emocionado.

Eu também fiquei, creio que todos que ouviram se emocionaram. Deus do céu, como foi possível, logo após essa tragédia, que pessoas vis, mesquinhas, tenham usado com desfaçatez esse acidente, essas mortes, de forma política?

Ninguém sabia a causa do acidente, mas bradou-se aos quatro ventos que era culpa do presidente Lula. Chegaram ao extremo de forjar uma passeata de solidariedade às famílias para atacar o presidente Lula. A mídia, como louca, imediatamente deu vários pareceres técnicos sobre o acidente, e condenou o presidente Lula minutos após o ocorrido.

Deus do céu, confesso que fiquei horrorizada, indignada, com tamanha irresponsabilidade, tanta gana pelo poder, demonstrando desprezo pelos mortos, total desrespeito às famílias.

O ódio que essa elite burra e midiática tem do presidente Lula é imenso, não vê limites para tentar retomar o poder que lhe foi negado nas urnas pelo povo brasileiro.

Deus do céu, ilumine os corações e as mentes dessas pessoas tão carregadas de ódio, não permita que a barbárie de seus atos esconda sua condição humana.

Deus do céu, receba e ilumine as almas de seus filhos, pois eles não evocaram o seu nome em vão.

Jussara Seixas
Editora do blog Por um Novo Brasil
(http://por1novobrasil.blogspot.com/)

Comments:
A Questão Moral

Nos últimos dias temos assistido um fato inusitado na cultura política brasileira. E elite “cansou”. E, para nossa surpresa, conseguiu reunir 200 pessoas (não seis mil, como afirma a imprensa), entre elas os familiares das vítimas do acidente com o Airbus da TAM, para “urubuzar” os corpos no local da explosão e gritar palavras de ordem contra o Governo, contra os impostos altos, enfim, contra essa “situação” em que se encontra o país.

O fato é inusitado, mas não é inédito. Em 1964, a classe média, papagaio da elite, saiu às ruas na famigerada Marcha da Família com Deus pela Liberdade. A boa comparação foi feita pelo jornalista Mino Carta, da Revista Carta Capital. Na época, a classe média, diante da propaganda imperialista na guerra fria, era bombardeada com informações, amplamente difundida pelas mídias, que davam como certa a implantação do comunismo no Brasil, se algo não fosse feito.

Foram às ruas setores mobilizados pela ala conservadora da Igreja Católica assim como as mulheres dos grandes empresários, de políticos conservadores, que abandonaram o conforto do lar para tomar as ruas em protesto contra as reformas de base de Jango. Ou seja, qualquer coincidência, não é mero fato. No entanto, ainda não ando vendo duendes e fadas por aí. Obviamente que o atual contexto é outro. Ao menos por enquanto, a possibilidade de Golpe está entre as últimas alternativas. A questão hoje não é uma ameaça real aos privilégios da elite, tampouco, como efetivamente era na outra ocasião, uma ameaça de socialização da propriedade rural, dos espaços urbanos, etc.

O que leva a elite “às ruas” agora é uma questão moral: eles se sentem alijados do poder político; se enojam com essa gente “suja” que lhes assaltou o “poder” das mãos; sentem vergonha de um presidente que não fala um português correto, e acima de tudo, que não fala francês nem inglês. Sentem-se reféns do zé povinho.

A crise aérea mexeu com o imaginário da elite. O caos nos aeroportos lhes forneceu um fato concreto para indignar-se concretamente com o Governo. O saguão dos aeroportos é um ambiente deles. Estão lá cotidianamente, seja para viajar a negócios, para Europa, para a Disney... Enquanto o governo transfere uma pequena parte do dinheiro “deles” para os flagelados do nordeste, acham um absurdo, mas tudo bem, se passa; enquanto a economia cresce, apesar desse “governozinho de merda”, tudo bem; mas transformar a rampa que os leva ao mundo civilizado em um caos, é o limite. Chega. Cansaram. Desceram do frio nórdico de Campos do Jordão, guardaram seus casacos de pele e “tomaram” as ruas de São Paulo para chamar a atenção do povo “ignorante e desinformado” para a “situação” do país. E tudo isso, pasmemos (ou não?), patrocinado pela OAB-SP.

O Governo Lula nos oferece milhares de motivos para ir às ruas; os juros altos engordando como nunca os bolsos dos banqueiros; alianças partidárias que vão de encontro ao histórico de luta do partido que ele ajudou a fundar; as propostas que vez em quando surgem por aí que vão de encontro aos interesses dos trabalhadores; a falta de ousadia para realizar uma reforma agrária de verdade; aliás, a falta de ousadia geral deste governo.

A elite reclama de barriga cheia. Se por um lado a vida do pobre melhorou, os bem nascidos também ganham como nunca neste governo. Por isso estou me deliciando com essa onda de “protestos” dos clientes da Daslu, assim como das vaias do Pan. É muito bom que isso aconteça agora. Se há algo neste governo que me deixa feliz é assistir a elite espernear. Quem sabe a ingratidão dela faça o barbudo perceber que quem tem 60% de aprovação popular não precisa ter medo da Rede Globo, que bombardeia o governo todos os dias. Quem sabe ele perceba que quem está do lado dele são os setores populares, e que é para estes que ele tem que governar. Quem sabe ele abandone de vez esta idéia de conciliação de classe, de pacto social, que persiste desde o primeiro mandato.

A esperança é algo que, mesmo que por vezes ingênua, nos conforta. Espero continuar a ver a elite ir às ruas. Cada vez com mais gente. Quando chegar aos seis mil que imprensa alardeia, quero ver qual será a reação do governo. E curiosamente aguardarei, com a mesma ânsia, o posicionamento da auto-intitulada oposição de esquerda. Engrossarão o caldo dos cansados?


Mauricio Correia
 
EXTRA! EXTRA!

Amigos e leitores

Quando se diz que Lula é muitos, somos milhões de Lula a defender este país, há que diga que isso é mentira. Com a colaboração de vocês e de todos os blogueiros defensores do governo Lula, tivemos uma imensa vitória. O site da PHILIPS retirou o banner do "cansei" de sua pagina na internet. Essa é a vitória da democracia, vitória do povo brasileiro. Golpe nunca mais!

Sexta-feira, Agosto 03, 2007
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?